PS chumba proposta do PSD para construção do Centro Hospitalar do Oeste

Foto: Google Imagens

A maioria socialista na Assembleia da República chumbou a proposta do PSD de aditamento ao Orçamento do Estado, que tinha por objetivo incluir a construção do novo Hospital do Oeste no plano de investimentos em novas unidades de saúde, para que o concurso fosse lançado até final deste ano. Os restantes grupos parlamentares votaram a favor da proposta social-democrata. 

Em comunicado, os deputados social-democratas criticam que “ao votar isoladamente contra esta proposta, o Partido Socialista demonstrou não partilhar da preocupação do PSD”. Os deputados sublinham que “o problema aparenta ainda não ser reconhecido pelo Governo, que se escusa assim a incluir esta tão necessária obra na proposta de lei de Orçamento do Estado para 2022”.

O grupo parlamentar do PSD justifica a proposta pelo facto da criação de um hospital central para o Oeste ser “consensual”, assim como a “necessidade de melhorar as unidades do Centro Hospitalar do Oeste já existentes, que têm ultrapassado, nos últimos anos, grandes obstáculos de funcionamento”.

Os deputados sublinham ainda que “a falta de recursos humanos capazes de fazer face ao aumento exponencial da procura é a principal crítica feita pelas unidades de Torres Vedras, Caldas da Rainha e Peniche, cujos serviços de urgência se encontram em situação limite”.

“Perante a deterioração dos serviços, que já levou ao pedido de demissão de vários profissionais por falta de condições para realizar a devida atividade assistencial e uma digna prestação de cuidados de saúde aos utentes, o PSD propôs que o concurso para a obra fosse iniciado em 2022. Propôs ainda que, durante a construção do novo Centro Hospitalar do Oeste fosse reforçado o investimento nas unidades de Torres Vedras, Caldas da Rainha e Peniche, garantindo o rácio de recursos humanos necessários para permitir uma adequada resposta assistência”, sublinham.

O Centro Hospitalar do Oeste integra os hospitais de Torres Vedras, Caldas da Rainha e Peniche e serve cerca de 300 mil habitantes daqueles três concelhos, assim como de Óbidos, Bombarral, Cadaval e Lourinhã e parte dos concelhos de Alcobaça (freguesias de Alfeizerão, Benedita e São Martinho do Porto) e de Mafra (com exceção das freguesias de Malveira, Milharado, Santo Estêvão das Galés e Venda do Pinheiro).