Centro Hospitalar do Oeste explica retenção de macas nas urgências com sobrelotação

Foto: DR

Depois de uma grande afluência de doentes aos Serviços de Urgência do Hospital das Caldas da Rainha e às áreas de atendimento respiratório do Centro Hospitalar do Oeste (CHO), que se registou no início desta semana, a situação está agora normalizada. 

O Conselho de Administração do Centro Hospitalar esclareceu que não possui macas retidas das ambulâncias nas suas instalações, uma situação que se verificou no início desta semana “por motivos de sobrelotação dos espaços”. Em comunicado, o Conselho de Administração explica que a elevada afluência de utentes “tem provocado alguns constrangimentos no atendimento dos doentes que acorrem a estes serviços”. 

De acordo com os dados revelados pelo Centro Hospitalar, no início desta semana foram atendidos 155 doentes na Urgência Geral do Hospital das Caldas da Rainha, “quando no mesmo dia de 2021”, na altura no pico da pandemia, “o número de atendimentos restringiu-se aos 87”. 

Já nas áreas de atendimento respiratório nas Caldas da Rainha, foram atendidos 58 doentes, contra os 14 admitidos no mesmo dia do ano. Já no Hospital de Torres Vedras, “a situação de elevada procura é idêntica”. No passado dia 3 tinham sido atendidos 149 doentes na Urgência Geral (no mesmo dia de 2021, foram 109) e 49 na área dedicada a doentes respiratórios quando, no mesmo dia de 2021, tinham sido atendidos 23.

O Conselho de Administração sublinha que se verifica uma procura dos Serviços de Urgência apenas para a realização de testes à Covid-19, o que “nada beneficia a capacidade de resposta para os doentes efectivamente urgentes”, alerta. 

O Conselho de Administração do CHO garante que vai continuar a adoptar “as medidas necessárias para dar a melhor resposta na prestação de cuidados de saúde à população da região”. Apela ainda à responsabilidade individual e colectiva da população no cumprimento das medidas de protecção contra a Covid-19, como o uso de máscara, o distanciamento físico, a ventilação dos espaços, a lavagem das mãos, a testagem e a vacinação.