Hospital das Caldas da Rainha autorizado a contratar enfermeiros para o serviço de urgência

Foto: DR

O Centro Hospitalar do Oeste anunciou a contratação de mais enfermeiros para o Serviço de Urgência do Hospital das Caldas da Rainha. O anúncio surge depois do protesto feito por estes profissionais que recusaram, na passada sexta-feira, aceitar a passagem de turno exigindo a contratação de mais enfermeiros para o serviço de urgência que, segundo estes trabalhadores, está sobrelotado.

Para além da garantia do reforço de pessoal, o Centro Hospitalar do Oeste garante ainda, que até ao final do ano, deverá estar concluída a empreitada de remodelação e ampliação do serviço de urgência. A obra, que representa  um investimento superior a 1,7 milhões de euros, vai dotar a unidade de uma segunda Sala de Observação, com a ampliação da Urgência Pediátrica, “permitindo aumentar a capacidade de resposta à população”.

Num esclarecimento enviado à nossa redacção, o Centro Hospitalar do Oeste explica que os Serviços de Urgência do Hospital de Torres Vedras e das Caldas da Rainha “têm estado muito congestionados nos últimos meses, devido à elevada afluência de doentes”. Desde Junho, o movimento na urgência “tem sido idêntico ao registado no período pré-pandemia”, agravado em 2021 “pela existência das Áreas de Atendimento Respiratório para o Covid-19, que têm registado elevada procura”.

Apesar disso, “os serviços de urgência mantêm-se em funcionamento, com a situação estabilizada, garantindo a prestação de cuidados à população da sua área de influência, apesar dos constrangimentos identificados”, garante o CHO.

Face a esta situação de elevada afluência, o Centro Hospitalar apela aos utentes “para que utilizem as urgências hospitalares apenas em situações realmente urgentes” e que antes da vinda à urgência devem contactar a Linha SNS 24 (808 24 24 24), “que disponibiliza aconselhamento e encaminhamento em situação de doença”.

O conselho de administração do Centro Hospitalar informa ainda que  procedeu à contratação de vários enfermeiros e outros profissionais de saúde desde Abril de 2020, para responder às necessidades de atendimento decorrentes da pandemia e outras resultantes do aumento de actividades hospitalares. No que diz respeito aos Serviços de Urgência Torres Vedras e das Caldas da Rainha, exercem funções mais 13 enfermeiros em cada serviço, comparativamente com o período pré-pandemia. Para além disso, diz o CHO, “estão a decorrer processos de autorização para a contratação de enfermeiros e de outros profissionais de saúde, como por exemplo de assistentes operacionais”.

Contudo, segundo o CHO, “apesar do esforço para contratação de enfermeiros, nem sempre os processos de contratação foram preenchidos em pleno por falta de candidatos ou por desistência dos mesmos no momento da celebração do contrato”. O Centro Hospitalar defende que esta estratégia de dotação de recursos humanos adequados às necessidades, bem como as contratações entretanto ocorridas, “têm sido permanentes”. Trata-se de uma estratégia que “não decorre” das acções de protesto verificadas nos últimos dias, sublinham no com.  O organismo tutelado pelo Ministério da Saúde sublinha ainda que “tem envidado todos os esforços e continuará a adoptar as medidas necessárias para dar a melhor resposta na prestação de cuidados de saúde à população”.

A falta de enfermeiros no serviço de urgência foi denunciada no final da semana passado por cerca de duas dezenas de profissionais que recusaram aceitar a passagem de turno e se concentraram em frente ao Hospital das Caldas da Rainha em protesto pela escassez de meios no serviço que se encontra sobrelotado.