Centro Hospitalar do Oeste cria dois Centros de Responsabilidade Integrados

Foto: Google Imagens

O Centro Hospitalar do Oeste (CHO) vai criar dois Centros de Responsabilidade Integrados (CRI) para as áreas médicas de Pneumologia e de Psiquiatria e Saúde Mental. A medida coloca os três hospitais do Oeste (Torres Vedras, Peniche e Caldas da Rainha) no grupo dos hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) que aderiram ao novo modelo de gestão. Segundo o Canal Saúde+, o programa pretende “reduzir as listas de espera, melhorar a eficiência e rentabilizar a capacidade instalada”.

Na área da Pneumologia, que funciona marioriamente no Hospital de Torres Vedras, o Centro de Responsabilidade Integrado vai permitir melhorar a adaptação da assistência hospitalar às necessidades do doente, através de um atendimento especializado e tecnicamente qualificado (internamento e ambulatório), que será optimizado para os recursos de forma a aumentar a eficiência.

O CHO explica ainda que, “para a comunidade, relança a imagem do hospital como um sistema aberto, em que se tenta fazer uma aproximação entre o tratamento hospitalar e o meio social e familiar dos doentes, mediante um acesso rápido e eficaz ao sistema de saúde”.

Já na área da Psiquiatria e Saúde Mental, mais centrada no Hospital das Caldas da Rainha, o centro será uma “oportunidade para criar novas valências para a Região Oeste”, como “o internamento ou o hospital de dia”. Na área de acção do CRI estará ainda a celebração de novos protocolos que permitam a realização de projectos de investigação, formação ou o desenvolvimento de subespecialidades.

Para o Conselho de Administração do CHO, estas estruturas de gestão vão permitir “dar respostas assistenciais mais flexíveis e de maior proximidade, em articulação com os cuidados de saúde primários”, úteis para ajustar o modelo de prestação de cuidados às necessidades que resultam do actual contexto pandémico. Em simultâneo, “será possível atribuir às equipas envolvidas mais autonomia e responsabilidade para rentabilizar a capacidade instalada e cumprir os tempos de resposta, centrados nas necessidades dos utentes e com incentivo à melhoria contínua”.

Os Centros de Responsabilidade Integrados são estruturas orgânicas de gestão intermédia, dependentes dos conselhos de administração das entidades públicas empresariais do SNS, que têm autonomia funcional e um compromisso de desempenho assistencial e económico-financeiro negociado para um período de três anos. OS CRI vão ser constituídos por equipas multidisciplinares e dirigidos por um Conselho de Gestão com autonomia para promover níveis de produção e indicadores de desempenho em dimensões como o acesso, a qualidade, o ensino/investigação e a eficiência.